O lenço desbotado do ginete, do poeta Rodrigo Bauer, foi o grande poema vencedor do Concurso de poesias inéditas alusivo ao 33º Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria. O concurso, também chamado de Rodeio de poesias, é promovido pela Câmara Municipal de Vacaria e está em sua 21ª edição. Foi criado em 1965.

Na terça-feira (04), as 10 poesias classificadas para a final foram defendidas, no palco 2 do Parque de Rodeios, por declamadores e amadrinhadores consagrados, que arrancaram lágrimas e aplausos do público. Os 10 poemas finalistas foram escolhidos entre 159 participantes.

OS POEMAS VENCEDORES
1º LUGAR
O poeta Rodrigo Bauer conquistou o primeiro lugar do concurso com O lenço desbotado do ginete, poesia defendida por Pedro Junior da Fontoura e Maykel Paiva e Pedro Kaltbach. Rodrigo Bauer recebeu troféu personalizado e o prêmio de R$ 1.800.

2º LUGAR
O poeta Sebastião Teixeira Corrêa conquistou o segundo lugar no Rodeio de poesias com Quem herdará os meus cavalos?. A poesia foi declamada por Waldir Borille. Sebastião já conquistou outros prêmios em edições anteriores no concurso de poesias e, quando subiu ao palco para receber a premiação, pediu a palavra para elogiar a iniciativa da Câmara de Vacaria.

“Nós precisamos valorizar a Câmara de Vereadores de Vacaria porque nós de Caxias do Sul temos uma luta muito árdua, pois não encontramos esse apoio, essa sensibilidade que existe aqui. Tivemos uma audiência com o novo vice-prefeito de Caxias e buscamos uma cópia da lei em Vacaria para instituirmos o festival em Caxias”, afirmou Sebastião.

Sebastião levou para casa troféu e o prêmio de R$ 1.200.

3º LUGAR
O poeta Djalma Corrêa Pacheco conquistou o terceiro lugar com Os cinco sentidos do campo, defendida por Leonardo Andrade e Willian Andrade. Djalma também recebeu troféu e o prêmio de R$ 600.

DECLAMADOR E AMADRINHADOR
Pedro Junior da Fontoura, que é sempre convidado para defender poesias no concurso, brilhou mais uma vez na final e foi escolhido o melhor declamador. Pedro Junior interpretou a poesia vencedora: O lenço desbotado do ginete. Recebeu troféu e prêmio no valor de R$ 600.

Guilherme Castilhos, ao violão, foi escolhido como melhor amadrinhador. Guilherme defendeu a poesia A um gaúcho que volta, interpretada por Neiton Bittencourt Peruffo, de autoria de Mario Amaral e Paulo Freitas Mendonça.

A comissão avaliadora foi formada por Joseti Gomes, Léo Ribeiro, Carlos Eugênio da Costa (fase classificatória) e Liliana Cardoso. A coordenação do concurso foi feita por Idalcir Peruchin.

A solenidade foi acompanhada pelo presidente da Câmara, Joaquim Boeira de Vargas, e acompanhada pelos vereadores.

(Fonte: Giana Pontalti / Câmara de Vereadores)

Crédito: Maxx Produtora

Compartilhe...